Residências da Família Ramos de Azevedo

Nome oficial: Residências de Família Ramos de Azevedo
Localização: Rua Pirapitingui, 111, 141 e 159 – CEP: 01508-020 – São Paulo, SP
Autor Construtor: O arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo
Motivo do Tombamento: Por tratar-se de um bem cultural de interesse histórico-arquitetônico a residência de Ramos de Azevedo. Além de tratar-se de um exemplar de alto valor, remanescente da arquitetura residencial neoclássica de influência francesa do final do século XIX.
Descrição Técnica: O edifício principal tem quatro pavimentos: o subsolo, o rés-do-chão, o primeiro andar e o sótão. A construção é em alvenaria de tijolos revestida com pintura, simulando aparelho de tijolos policromados, e tem os cantos e arremates dos vãos de portas e janelas em bossagem. No subsolo foram localizadas as áreas de serviço e de armazenagem. Dele fazem parte a cozinha, a copa, cômodos para o estoque para o estoque de suprimentos e abastecimento domésticos, como a despensa e adega.
Histórico: A residência do arquiteto Ramos de Azevedo está situada à esquerda do último terço da quadra única que, partindo da rua Vergueiro, em sua declive, termina na rua Taguá. O lote, consequência da partilha de uma antiga chácara, a do Fagundes, demonstra a ausência de uma intenção loteadora organizada no bairro da liberdade, semelhante áquela encontrada em Campos Elíseos no que tange a irregularidade de seu desenho.
Após cinco anos em São Paulo, Ramos de Azevedo iniciou, em 1891, a construção de sua casa. A possibilidade de projetar uma casa que fosse também um cartão de visitas deve ter contribuído em muito na definição de suas características formais e construtivas. O conjunto é constituído, além da casa, pelos edifícios da antiga cocheira, depois garagem e residência do caseiro, por um pavilhão no centro do jardim, pelas cavalariças e por quatro estufas para plantas em ferro e vidro.
Em 1904, foi rearranjado os espaços e somou no rés-do-chão um escritório e a biblioteca e, no subsolo, uma marcenaria. A casa, assim como as edículas, possui uma excelente execução em todos os detalhes construtivos, estruturais e decorativos, testemunhando o capricho e cuidado na escolha de mão-de-obra especializada e qualificada para a execução dos serviço. O motivo é o monograma de Ramos de Azevedo, que aparece entre as palavras Ars Labor e desenhos florais, em  meio a um compasso e esquadros.
Referencias:
CARVALHO, Maria Cristina Woff de. Ramos de Azevedo. São Paulo. EDUSP, 2000.

Dados Oficiais do Bem imóvel


Esferas de tombamento: CONDEPHAAT

Áreas de envoltórias: 

Dados da Sub-Prefeitura:

Dados do tombamento pelo CIT : 

Nível de tombamento :

End. do imóvel: Rua Pirapitingui, 111, 141 e 159 – CEP: 01508-020 – São Paulo, SP

End.Official pelo IPTU :    Rua Pirapitingui, 111, 141 e 159 – CEP: 01508-020 – São Paulo, SP

Resoluções :     20 de 10/04/1985

Livro do Tombo:  inscrição nº 237, pp. 64 e 65, 21/01/1987

Processo de tombamento : 

  • Processo de tombamento CONDEPHAAT – 01118-53
  • Processo de tombamento CONDEPHAAT – 22365-82

Diário Official : Poder Executivo, Seção I, 11.04.1985, pg 08.

Uso original: Residencial
Uso atual: Residencial
Se você tem mais informações sobre esse imóvel mande através do formulário envio.

Eu recebo as fichas de imóveis, artigos e noticias, valido e logo após público com os respectivos créditos e referências dos colaboradores. Se você quer ser um autor colaborador entre em contato conosco.