Cinco séculos de memórias visuais

Edifício Meira Júnior, em Ribeirão, e Estação Ferroviária de Araraquara integram livro de história e imagens de construções

O edifício Meira Júnior, registrado em 2016 pelo fotógrafo Ed Viggiani para o livro ?Vestígios da Memória...? (Foto: Divulgação)

O edifício Meira Júnior, registrado em 2016 pelo fotógrafo Ed Viggiani para o livro ?Vestígios da Memória…? (Foto: Divulgação)

Ribeirão Preto e Araraquara estão representadas no livro “Vestígios da Memória – Fotografias do Patrimônio Arquitetônico Paulista”, que reúne 33 imagens em preto e branco de edificações representativas de diferentes estilos arquitetônicos. Elas estão espalhadas por 27 cidades do estado de São Paulo e datam dos últimos cinco séculos.

Entre as fotos selecionadas estão a do Edifício Meira Júnior (1930), no tradicional Quarteirão Paulista, em Ribeirão, e a do Museu Ferroviário Francisco Aureliano de Araújo, que funciona na antiga estação de Araraquara (1912).

A primeira é assinada pelo premiado fotógrafo documentarista Ed Viggiani, que para fazê-la diz ter levantado bem cedo em um domingo “para ver um bar fechado”. No caso, a famosa choperia Pinguim, que funciona no térreo do edifício Meira Jr.

A segunda foi clicada pelo repórter fotógrafico Pierre Duarte, também em um domingo de manhã, para pegar a cena sem carros ou pessoas. “O prédio está bem conservado. O calçamento de paralelepípedos em frente à estação e os gradis, que parecem ser da mesma época, dã ele no livro.

Como as obras dos demais 18 fotógrafos que integram a publicação, as de Viggiani e Duarte passaram por um processo de seleção conduzido pelas organizadoras do projeto: a historiadora Ana Lúcia Queiroz e a fotojornalista Márcia Zoet.
“Vestígios da Memória…” é a quarta obra da dupla e, como as anteriores, tem como objetivo incentivar a reflexão da opinião pública sobre as vantagens da conservação do patrimônio cultural.

Segundo elas, a pesquisa de imagens par ao livro começou com uma convocatória para fotógrafos profissionais apresentarem imagens de obras arquitetônicas que tivessem lhes chamado a atenção no estado de São Paulo. “Pesquisamos também no banco da Pulsar Imagens, especializada em fotografias de arte e cultura. Por último, convidamos fotógrafos a cobrir as localidades ainda não contempladas”, explica Márcia Zoet.

Segundo ela, a curadoria tinha como principais metas contemplar obras que retratassem não só a vida econômica, mas também a social e cultural das localidades. “A questão estética norteou todo o processo”, pontua.

Histórias

No início da década de 1930, quando os “barões do café” ainda davam as cartas na economia regional, a Cervejaria Paulista financiou o projeto que culminou nas construções, em frente à praça XV de Novembro – marco da fundação da cidade – o Theatro Pedro II e o edifício Meira Júnior. Eles vieram a formar, juntamente com o já existente Hotel Central (atual Palace), o famoso “Quarteirão Paulista”. Projetado para abrigar lojas e uma luxuosa confeitaria, no térreo, e escritórios nos andares superiores, o edifício Meira Júnior sofreu mudanças em seu uso e arquitetura através dos anos.

O Museu Ferroviário Francisco Aureliano de Araújo ocupa as antigas dependências da estação da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, cuja história se entrelaça com a do café e da urbanização de Araraquara. Essas histórias estão no museu em forma de fotos, documentos, mobiliário, vestuário, ferramentas, veículos e outros objetos do acervo.

Os profissionais

Além de Viggiani e Duarte, outros grandes nomes estão entre os 19 fotógrafos participantes da publicação. Entre eles, Delfim Martins (prêmio Internacional Nikon, Japão), Epitácio Pessoa (Prêmio Esso de Fotografia) e Mônica Zarattini (Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos), que olharam para as cidades que fotografaram – respectivamente Presidente Prudente, Sorocaba e Guarulhos – buscando registrar o que mais lhes atraiu. Cada imagem é acompanhada por comentários dos autores, como os de Chico Ferreira, Denise Guimarães e Lucas Lacaz Ruiz, falando sobre o momento da sua realização. Além das organizadoras Ana Lúcia Queiroz e Márcia Zoet, formam ainda a equipe do projeto a redatora Silvia Wolff (texto de apresentação) e a designer gráfica Marta Oliveira (projeto gráfico).

Fonte original da notícia: Acidadeon Riberão Preto


Cita: sppatrimônio, "Cinco séculos de memórias visuais," em sppatrimônio Brasil, 22/01/2018. Acessado em 19/02/2018.<http://www.sppatrimonio.com.br/cinco-seculos-de-memorias-visuais/>

Eu recebo as fichas de imóveis, artigos e noticias, valido e logo após público com os respectivos créditos e referências dos colaboradores. Se você quer ser um autor colaborador entre em contato conosco.